domingo, 6 de novembro de 2011

Para começar, o que é direita?

Direita? Esquerda? Huh?
Um jargão recorrente em discussões de boteco entre brasileiros é a falácia que "direita e esquerda não existem mais". Você provavelmente já ouviu isso. Eu sei que já escutei esta mentira mais vezes do que consigo contar.

Bem, sinto muito, mas isso não poderia estar mais errado.

Não obstante, não é completamente surpreendente que o brasileiro mediano pense assim, afinal, quais são os exemplos ostensivos de direita na vida política e cultural brasileira? Não existem. As pouquíssimas exceções de autores e políticos direitistas no Brasil são deliberadamente caladas e/ou massacrados pela mídia.

O que existe no mainstream brasileiro é a esquerda e a direita da esquerda (sociais-democratas, mais perto do centro, mas ainda esquerda).

Então, afinal, que diabos é esse raio de direita? Da maneira mais direta e simplificada possível: a esquerda é coletivista e a direita é individualista. os outros rótulos aplicados à Direita X Esquerda são:
  • Conservadores X Liberais* / Progressistas
  • Reacionários X Revolucionários
A esquerda prega o "bem comum" através da centralização do poder nas mãos de um Estado gigantesco, onipresente e controlador, a direita acredita no poder de realização e liberdade individuais, que cada pessoa tenha liberdade para seguir seus próprios interesses.

A esquerda prega o controle ferrenho do mercado em nome do "bem comum", a direita acredita que cada um sabe o que é melhor para si e é capaz de gerir seus recursos em prol de si próprio e sua família.

A esquerda prega que "intelectuais" esclarecidos, benevolentes e bem intencionados sabem o que é melhor para a sociedade inteira, a direita acredita que cada indivíduo é capaz de cuidar de sua própria vida.

A esquerda prega que a moralidade do Estado deve substituir e sobrepor-se a quaisquer valores da sociedade, a direita acredita que os valores judeo-cristãos serviram à sociedade ocidental muito bem até agora.

Então, para sumarizar os 5 pilares da direita, sem nenhuma ordem específica pois todos são igualmente importantes e interconectados, são:
  • Liberdade
  • Responsabilidade pessoal
  • Livre mercado
  • Governo limitado 
  • Moralidade judeo-cristã
Agora compare isto com o típico jargão de frustração de um brasileiro: "[insira problema aqui] está uma droga e o governo não faz nada!". Bem, o que você esperava? 

A pedra fundamental da questão é justamente a onipresença da esquerda na cultura brasileira, ou seja, a percepção que a responsabilidade de tudo é dos governantes. Os tais "intelectuais" esclarecidos e benevolentes são uma fantasia. O que a direita acredita é que simplesmente não podemos entregar nossa liberdade e vidas nas mãos de outros, pois o resultado sempre será estes outros cuidando de seus próprios interesses pessoais usando a população como massa de manobra. 

Como muito bem colocado por Lord Acton: "O poder corrompe, o poder absoluto corrompe absolutamente". Então por que raios nós deixamos que o partido da vez, governo após governo, concentre cada vez mais o poder? 

Lembrem-se as lições da história. Em absolutamente TODAS as vezes que uma elite "esclarecida" e benevolente obteve o poder absoluto ou quase absoluto em nome do "povo", o resultado foi genocídio: revolução francesa, União Soviética, Alemanha Nazista, China, Camboja e Cuba mataram mais de 100 milhões de civis em nome do "bem comum" (voltarei a este tema em futuros posts).

Em contrapartida os founding fathers americanos deixaram na constituição e na declaração de direitos (bill of rights) dos EUA mecanismos para limitar o poder do governo, garantir a liberdade individual e o livre mercado. O resultado: primeiro país na história a abolir escravidão, justiça, fartura e cultura como jamais visto entre uma sociedade humana.

E a direita é que leva pecha de malvada e sem-coração.
Vai entender.

O brasileiro não sabe o que é direita porque não temos isso por aqui. Não significa que não exista em outros lugares do mundo. Você sabe o que é o Tea Party americano? Se sua única fonte de informação é a mídia brasileira, você provavelmente responderia "sim", mas eu diria que você está errado. Eu costumo dizer que português é uma prisão mental, porque o indivíduo monoglota está limitado à conhecer apenas o que lhe é permitido ver. Em conversas casuais com amigos e colegas eu fiquei chocado com algumas opiniões que ouvi a respeito do Tea Party ser "um bando de nazistas e racistas". Não! O Tea Party defende, na sua essência, que o governo esquerdista dos democratas pare de gastar desenfreadamente o suado dinheiro dos impostos em esquemas populistas gigantescos.

Soa familiar com algo que eu mencionei acima?

*O termo "liberal" (homógrafo no inglês) originalmente significava liberalismo econômico, e era um conceito da direita. Este uso do termo ainda resiste de certa forma no Brasil (principalmente como pejorativo contra os sociais-democratas), mas a esquerda internacional conseguiu ao longo do século XX surrupiar a palavra e hoje no contexto político internacional ela é usada como "liberalismo social", ou seja: sinônimo de esquerda.

6 comentários:

  1. Interessante a crítica, mas acho que o autor se limitou a discutir o espectro direita/esquerda pelo viés capitalista/ marxista, sempre dentro de uma realidade hierárquica. Analisando extremos, a alternativa diferente da direita não se limita às teorias marxistas.
    Eu, por exemplo, também acredito que "não podemos entregar nossa liberdade e vidas nas mãos de outros", mas a opção pelo capitalismo ou direita não evita esta situação.

    ResponderExcluir
  2. 1. Creio que o PSDB veste a roupa da social-democracia para não ficar desconfortável perante a população, que por um bom tempo vai associar direita à ditadura militar. Mas me parece que o governo do Sr. FHC teve um viés de direita (vide privatizações, falta de políticas de assistencialismo e degeneração da carreira do funcionalismo público).

    2. Tem um post interessante do Reinaldo Azevedo, falando sobre a incompatibilidade dos governos de esquerda e democracia/liberdade: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/mais-que-um-programa-tv-os-papa-defuntos-ideologia/

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fada, confuso mesmo está seu comentário. Poderia elaborar mais, quem sabe encadeando as idéias em uma construção lógica? Tente um silogismo, pra começar.

      Excluir
    2. Eu ia deletar esse comentário simplesmente porque além da repetição de slogans ele é absolutamente inútil como debate e ofende a inteligência de nossos leitores.

      Mas resovi deixar apenas para realçar a absoluta imbecilidade de acusar alguém de nazismo em um parágrafo para no próximo botar a culpa de tudo que há de mal nos judeus.

      Sério?

      Nem como paródia isto funcionaria porque é estúpido demais, não obstante, cá estamos.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir