quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

A Revolução dos Bichos de Florianópolis

Na obra “A revolução dos bichos” George Orwell conta a história dos animais da Granja do Solar, que revoltados contra o proprietário e imbuídos de uma ideologia igualitária, expulsam os humanos e assumem o controle da propriedade. Invadem a casa do proprietário, hasteiam uma nova bandeira, criam uma espécie de hino, promulgam regras próprias (que mudam conforme o desejo dos líderes), e declaram seu objetivo de espalhar seus ideais, derrubando a sociedade exploradora e injusta também do outro lado do portão da granja.  Como é difícil explicar toda a ideologia socialista que os motiva, os líderes convencem os animais menos dotados intelectualmente com o argumento que todos terão mais comida.
Na ocupação do terreno às margens da SC-401, em Florianópolis, também se expulsaram o legítimo proprietário, uma casa foi arrombada, se hasteia uma bandeira diferente da nacional, já há palavras de ordem, os líderes já definiram leis próprias e a ideologia socialista é a mesma dos animais da ficção. Outra coincidência: a justificativa para os atos também é “produzir comida”. Ou como diz sua bandeira: “terra, trabalho e teto”. O mesmo que desejavam os iludidos animais da ficção.
Na ficção, os líderes, tendo à frente o porco Napoleão, exploram os animais irracionais para ganho pessoal. Para tanto, usam os cachorros para intimidar os demais animais. Todos são iguais, mas alguns são mais iguais que os outros. Na SC-401, o equivalente ao porco Napoleão é o Sr. Rui Fernando da Silva, coincidentemente o mesmo que foi preso em 2010 por planejar invasões, sob a alegação de pagamento aos “sem-terra”. Como o porco Napoleão, diz agir pelo bem dos outros, mas nunca assume nenhuma responsabilidade por seus fracassos. Tudo é feito pelo bem da coletividade. Deve ser por isso que assim como os porcos da Granja do Solar, já estipulou regras próprias (como uma lei do silêncio) e formou uma milícia. 
Na ficção, o proprietário reúne outras pessoas da região para retomar a fazenda dos animais, e falha. Em Florianópolis, o proprietário recorreu à justiça. Também falhou. Apesar de se tratar de uma área urbana, o juiz especial agrário Jefferson Zanini solicitou uma audiência de conciliação. O juiz cita como uma das justificativas para o descumprimento da ordem de reintegração de posse a “dificuldade da PM para o cumprimento” da referida ordem. Ora, não se diz que “decisão judicial não se discute, se cumpre?” De acordo com o juiz Zanini, só quando não for muito difícil. O “Napoleão da SC-401” e seus cães de guarda aparentemente mandam mais que a justiça catarinense.

Nenhum comentário:

Facebook Blogger Plugin: Bloggerized by AllBlogTools.com Enhanced by MyBloggerTricks.com

Postar um comentário