quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Energia: nem mais limpa, nem mais segura, nem mais barata

Quando os marcos regulatórios do setor de geração de energia elétrica foram alterados, todas as justificativas possíveis foram utilizadas para justificar a mudança de algo que funcionava - apesar de seus problemas - para algo que ninguém sabia o que seria: o Modelo Dilma.
Foi dito à população que o modelo visava garantir a segurança do sistema elétrico. Recentemente, estivemos prestes a sofrer um apagão sem qualquer aviso, quando a capacidade das termoelétricas emergenciais (agora funcionando em regime quase permanente) ficou perto de não atender a demanda
Foi dito à população que a energia seria mais barata sob o novo modelo. Outra mentira. Em 2015 não só teremos aumento, como também bandeiras tarifárias, punindo quem consome mais energia. Só em um mercado muito distorcido se pune quem consome mais do produto que é oferecido. 
Foi dito à população que a matriz seria mais limpa, usando o medo do aquecimento global das mudanças climáticas para justificar a necessidade da implantação de fontes que não utilizassem combustíveis fósseis. Em 2014 batemos recordes de utilização de energia de fontes termoelétricas no país. 
Nossa atual presidente foi ministra de Minas e Energia, em uma gestão tão atrapalhada quanto sua fala (corre por aí a piada que ela não sabe a diferença entre uma tomada e um interruptor). Alguém a questionou sobre sua responsabilidade no aumento das contas? Alguém questionou o Sr. Maurício Tolmasquim, diretor da Empresa de Pesquisa Energética, responsável pelo planejamento do setor, o motivo para o crescimento da participação das térmicas fósseis na matriz, mesmo com um imenso potencial hidrelétrico, eólico e de biomassa inexplorado? Alguém questionou todos os apaniguados dos partidos da base aliada sobre suas responsabilidades em dezenas de obras atrasadas ou que superaram os orçamentos?
Nossa imprensa é muito hábil em publicar uma infinidade de opiniões e versões, esquecendo de reportar os fatos. Se fizessem as perguntas certas, esclareceriam muito mais sobre a situação atual. O fato é: nossa energia elétrica não é nem mais limpa, nem mais segura, nem mais barata que antes. Vamos perguntar aos responsáveis o motivo?